VilmaSouza

Sejam bem vindos sempre.
Este Blog possui fotografias artísticas e artigos de direitos autorais, repeite-os. VS

6 de abril de 2010

..."e foram felizes para sempre"..."Era uma vez"...

"Não importa o que fizeram de mim,
o que importa é o que
eu faço
com o que fizeram de mim."
(Jean-Paul Sartre)

Jean-Paul Charles Aymard Sartre (Paris, 21/06/1905 - 15/04/1980) foi um filósofo francês, escritor e crítico, conhecido representante do existencialismo. Acreditava que os intelectuais têm de desempenhar um papel ativo na sociedade. Era um artista militante, e apoiou causas políticas de esquerda com a sua vida e a sua obra.

Repeliu as distinções e as funções oficiais e, por estes motivos, se recusou a recebero Nobel de Literatura de 1964. Sua filosofia dizia que no caso humano (e só no caso humano) a existência precede a essência, pois o homem primeiro existe, depois se define, enquanto todas as outras coisas são o que são, sem se definir, e por isso sem ter uma "essência" posterior à existência. (fonte http://pt.wikipedia.org/wiki/Jean-Paul_Sartre)

Será que hoje você conseguiria dizer quem é você?
ou o que você fez de você?

ou dizer o que você faz para ser feliz?
ou para estar feliz?
humm...
muito filisófico, mas fica aí a pergunta pra pensar.

Fotografia: Arq. Particular
Belle, Gabi, Vó Estela, Flor e Mimi na Estação Ferroviária de Morretes-PR

Estação Ferroviária de Morretes-PR- 04/2010
Será que tá na hora do trem?
Que tal? Vamos bater o sino...
Banco da ferroviária, ele sempre arranca sorrisos...


O que tem haver a foto da estação ferroviária, com todas estas perguntas filosóficas?

Bom no meu caso. Tudo e muito haver. Viajei muito de trem de Paranaguá para Curitiba e desci muito nesta estação de trem, pra ir ao banheiro, para comer bolinho ou pastel de banana, carambola, banana seca, bala de banana.
E, outro dia eu estava indo pra Cabaraquara pela estrada da graciosa e passando em frente à estação de Morretes parei, subi por estas escadas (pra ir ao banheiro) e entrei no mundo das minhas lembranças.
Fiz uma viagem instantânea a minha infância.
No exato momento que pisei novamente neste lugar me senti feliz ao lembrar-me do trem, dos meus irmãos, mãe, pai, minha Avó Dina, meus primos, afinal das viagens de trem que para mim sempre foi algo maravilhoso.
Lembrar da minha infância me arranca muitos sorrisos e aquele sentimento de felicidade, uma alegria interior, algo inexplicável que está impregnado na minha alma é algo que ninguém pode sentir da mesma forma.
É algo diferente é um sentimento de que vivi a minha vida com alegria e ainda vivo com esta alegria dentro de mim, pelo bem estar, pelo sentimento de amor, de vitória apesar das limitações que eu mesma me imponho às vezes por achar que fiz pouco na minha vida, mas ao olhar para trás vejo que já fiz muito e que ainda posso fazer mais e melhor.
Nesta sexta-feira (da paixão) do feriado da Páscoa, ao passar novamente em frente da estação ferroviária paramos e fui mostrar a estação e falar da minha sensação à minha família.
Inclusive de uma parte curiosa a sensação de sentar no banco da ferroviária e não alcançar os pés no chão, eu achava que era por ser criança, mas eu ainda não alcanço os pés no chão o que arrancou muitos sorrisos de um momento inesquecível.
Acredito que a vida é o preenchimento de vários momentos felizes, inesquecíveis e inexplicáveis, sendo estes momentos eternizados nas lembranças onde o tempo para e, é o momento do conto de fadas... "e foram felizes para sempre"...
Então naquele momento "Fomos felizes para sempre"
E, assim começaria outro
"Era uma vez..."

3 comentários:

Everson Russo disse...

Sempre bom encontrar a tal felicidade,,,,um beijo carinhoso pra ti amiga..fique com Deus num lindo dia de paz.

Amapola disse...

Achei lindo,Vilminha.
Viajar de trem, é uma de minhas melhores lembranças. A ansiedade que me fazia ir dormir mais cedo, para chegar logo, a hora de viajar... a escolha de sempre estar perto da janela, para não perder nada da paisagem. Passa árvore, passa boi, passa lago,passa cavalo, passa tudo!
Só não passa a nossa lembrança boa, misturada a saudade.

Um grande abraço.
Obrigada pela visita e comentário.

MULHER DE FASES! disse...

oi lindona, to rindo do seu post,muito gostoso, essa do banco...kkkk
desculpe a ausencia, ando com preguiça,kkkk, estou estudando e preocupada em arranjar trabalho,daí, fico meio escondida...saudade,ai tenho q aprender a sair sozin ha nessa cidade, pra ir na sua casa qdo der na telha, sem depender só do Sergio, bjs a vcs,saudade