VilmaSouza

Sejam bem vindos sempre.
Este Blog possui fotografias artísticas e artigos de direitos autorais, repeite-os. VS

7 de novembro de 2008

A SEMANA:

Semana trabalhosa de Reuniões Plenárias, portanto as coisas particulares ficam todas meio que para resolver depois, é sempre melhor que a minha casa fique na rotina.
Mas tem coisas que infelizmente nos tiram da rotina e por muitas vezes nos colocam pra ter conversas urgentes e muito sérias com nossos filhos. Coisas que somos pegos de surpresas que só nos damos conta quando acontecem bem próximo de nós.

O caso da menina assassinada Rachel Maria Lobo Oliveira Genofre, 9 anos, cujo corpo foi deixado dentro de uma mala, embaixo de uma das escadas da Rodoferroviária de Curitiba que estudava no Instituto Estadual de Educação no período da Tarde.

Este caso que mesmo antes de saber quem foi? E como foi? Se faz necessário falar dele e mesmo antes da polícia saber as respostas se faz necessário conversar os indícios, e porque conversar isto em minha casa. Tenho uma filha nesta mesma escola e dois que veem sozinhos da escola.

Abala em muito a vida de quem tem filhos que voltam sozinhos da escola, enquanto estamos trabalhando. Mas muitos diriam eram 100 metros são somente 100 metros, os mesmos 100 metros que minha filha Isabelle, de 15 anos, faz todos os dias, pois estuda nesta mesma escola, mas no período da manhã e se desloca para a mesma praça pra pegar o ônibus.

Eu diria: não posso colocar os meus filhos numa redoma o jeito é explicar, conversar, a vida se apresenta com exemplos. E diante de tudo isso se fez necessário uma nova conversa séria em casa muito além daquele típico “Pai Nosso” já conhecido, muito além daquele não aceite balas de estranhos (época boa que era só pedir pra não aceitar balas e caronas).

Então a conversa se deu no jantar da quinta-feira e ainda bem que todos os meus filhos estavam em casa. Eu e o Flor relembramos a todos que carona na saída da escola até em dia de chuva somente os já cadastrados aqui em casa e isto não se atribui a pessoas não cadastradas e autorizadas pelo pai e mãe de comum e prévio acordo. Em caso de acidente ou incidente grave a única pessoa que ira contatá-los de urgência será, uma das avós com um dos tios(as) juntos.

Conversamos muito e foi surgindo às perguntas e fomos colocando as respostas e revendo as coisas do bom senso, do uso do MSN, do Orkut, da internet.

Espero que a conversa tenha sido proveitosa e que isto contribua para assegurar que os meus filhos tenham o discernimento pra saber se desviar de situações de risco.

Infelizmente um caso brutal de assassinato como este nos põe a pensar e a refletir, nos faz parar pra sentar e rever os conceitos, as atitudes, as conversas que devemos ter sempre com nossos filhos dos perigos que o mundo oferece, mas não é conversar pra amedrontar, é conversar pra que ele seja uma criança segura, saiba se defender como se conduzir diante das situações, é ir mostrando as coisas da vida e não criar com isso uma criança insegura, mas que sabe com quem falar, quando falar, quem procurar, em quem confiar e porque confiar.

Espero em Deus que todos sempre tenhamos tempo pra ouvir, sentar e conversar com nossos filhos.

“Que não falte Senhor meu Deus a sua palavra de Pai e nem a nossa disponibilidade de pai e mãe para os anjos ao qual vós nos confiastes e nos encarregastes de zelar aqui na Terra, pois um dia tu hás de lho pedir o resgate. Mas, Pai nós te pedimos, se a nós, confiastes e a nós encarregastes os teus anjos, não deixe que as coisas deste mundo os tirem de nós. Amém.” (autoria: Vilma de Souza, 06/11/08)

7 comentários:

TODO NOSSO disse...

Pois é ,nao podemos criar os filhos numa redoma,mas ao mesmo tempo ficamos indefesos, pq 100 metros, 50 , nao importa, é o tempo necessario para qqqer coisa acontecer, por isso a necessidade de sempre falarmos, orientarmos e pedirmos muita proteção divina aos nossos filhos, ja fui nesse instituto uma vez, muito interessante...

bj Vilminha!!
uma reflexao e tanto vc fez.

Príncipe Tito disse...

Que todos tenham um final de semana cheio de paz e alegria...Abraços!!!

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá Vilminha, adorei o teu texto... Muito bem conseguido!... Desejo-te um belo final e semana,
Beijinhos de carinho,
Fernandinha

Everson e Izi disse...

Minha amiga, tá ficando complicado ligar a tv, entrar na net, a gente fica sempre na expectativa de qual será a tragedia que estará em evidencia, mais essa da menina na rodoviaria de Curitiba, ficamos so pensando, onde iremos parar? estamos sem duvidas nenhuma vivendo o Apocalipse bíblico, esperamos que no caso dessa menina a justiça e quem quer que seja, encontre e puna o culpado, não fazendo como no caso da menina Eloá, que depois de dias, conseguiram o feito "maravilhoso" de, retirar e devolver uma refem, incrivel isso, incompetencia pura, e preservar a vida de um bandido vagabundo, enquanto uma menina morria e outra saia ferida e possivelmente com um trauma pro resto da vida, e hoje o bandido come as nossas custas, que Deus me perdoe, mas não seria melhor, na primeira oportunidade, que houve, um atirador de elite eliminar o bandido e salvar as duas meninas inocentes?....beijos carinhosos pra ti, otimo e abençoado final de semana cheio de paz....

Betho Sides disse...

Pois é minha querida Vilminha! É critica a situação de violência em todo o Brasil e aqui no sul, isto está ficando mais preocupante, pois diríamos...- Ah estamos livres! - Estamos??? Entendo perfeitamente seu ponto de vista apesar de não ter filhos nesta idade mas tenho netos...Beijão e bom final de semana

Nanda Nascimento disse...

É preocupante mesmo,cada dia as conversas tem que ser mais intensas, bela atitude a ser seguida, ainda não tenho filhos e estou muito preocupada com o futuro que os espera.

Vim conhecer seu cantinho, estou fazendo parte do amigo secreto da Drika,voltarei!

Beijos e flores!

tossan disse...

Um bom final de semana. Bj